Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Global Stone Congress 2018

Publicado: Sexta, 18 de Maio de 2018, 15h04 | Última atualização em Terça, 12 de Junho de 2018, 09h25 | Acessos: 276

Link para a página oficial do eventohttp://www.globalstonecongress2018.com.br/ 

 

 

ABERTURA DO GSC 2018

A cidade de Ilhéus, na Bahia, recebeu o Global Stone Congress 2018 (GSC), intitulado Connecting Minds in the World of Stone, entre os dias 26 e 29 de abril. A sexta edição do evento, organizada pela Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (ABIROCHAS) e pelo Centro de Tecnologia Mineral (CETEM) reuniu 170 participantes, entre pesquisadores ligados ao setor de rochas ornamentais de instituições brasileiras e internacionais, arquitetos, designers, engenheiros, geólogos, estudantes universitários, além de representantes do setor produtivo, com o objetivo de compartilhar conhecimentos e discutir os desafios para o desenvolvimento setorial. Palestrantes da Arábia Saudita, Argentina, Brasil, Chile, Espanha, Finlândia, Inglaterra, Irã, Itália, Portugal, República Tcheca e Suécia prestigiaram o evento.

Com a palavra, o diretor do CETEM, Fernando Lins, citou o aniversário do Centro, que celebrou 40 anos no último dia 18 de abril, e mencionou o início dos trabalhos no CETEM, na área de Rochas Ornamentais, há 20 anos; a parceria de longa data entre a ABIROCHAS e o CETEM; e a inauguração do Núcleo Regional do CETEM em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, em 2014. Relembrou, ainda, que o CETEM organizou o primeiro Global Stone Congress, na ocasião intitulado International Congress on Dimension Stones, em parceria com o CETEMAG, que na ocasião contou com 15 delegados estrangeiros, enquanto em 2018 inscreveram-se 41 participantes de outros países. Segundo Lins, a realização do Global Stone é de grande importância, por aproximar grupos de pesquisa do CETEM, do Brasil e do mundo e por promover a internacionalização e difusão de conhecimentos, em benefício do setor industrial.

O presidente da ABIROCHAS, Reinaldo Dantas Sampaio, fez um resumo histórico sobre o uso da rocha pelas civilizações ao longo do tempo, desde os primórdios da humanidade e concluiu que o avanço tecnológico será a mola propulsora da manutenção do interesse do setor arquitetônico pela rocha natural, apesar do aumento da procura por materiais cerâmicos e industrializados.

A abertura do GSC aconteceu na Teatro Municipal de Ilhéus e reuniu, além dos participantes do congresso, autoridades locais (o Prefeito de Ilhéus, Mario Alexandre Sousa, e o Vice-Prefeito, José Nazal) e do Ministério de Minas e Energia. Houve a apresentação do quinteto de metais Bahia Brass, com uma emblemática apresentação de Aquarela do Brasil, e da composição Caminho das Pedras (ônix, topázio e sodalita), de Gilson Santos, criteriosamente selecionada por sua conexão com o mundo mineral. Criado em 2008, o Bahia Brass é um dos corpos fixos de música de câmara do NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), programa do governo da Bahia iniciado em 2007, que visa promover o desenvolvimento e a integração social, prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade, por meio do ensino e da prática musical coletiva. O coquetel de boas vindas aos participantes aconteceu na tradicional casa noturna Bataclan.

 

Redação: Thatyana Freitas

Colaboração: Abiliane Andrade Pazeto, Marília Lopes de Souza e Nuria Castro

 

 

 

DISCUSSÕES NO GSC 2018

ARQUITETURA │O primeiro dia do Congresso focou na temática arquitetura. Foram apresentadas palestras e estudos que exemplificaram usos arquitetônicos das rochas ornamentais com fins estéticos e estruturais no Brasil e em diversas partes do mundo, destacando também aspectos relativos à caracterização e alterabilidade das rochas, conservação, entre outros.

O papel do arquiteto como especificador dos produtos de rochas, atuando como elo fundamental entre o fabricante e o consumidor final cada vez mais exigente, foi um tema amplamente discutido, assim como a questão do ensino de rochas ornamentais em cursos de arquitetura. Pesquisas realizadas pela professora Risale Neves (UFPE) e sua equipe dão conta do desconhecimento dos profissionais arquitetos formados em relação a questões técnicas relativas às rochas ornamentais e apontam para a necessidade de maior interação entre centros de pesquisa, universidades, profissionais de arquitetura e a indústria. No Brasil, atualmente, apenas o curso de arquitetura da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) conta com disciplina optativa, com carga horária de 30 horas, sobre o uso de rochas na arquitetura.

A necessidade de se investir em pesquisa e tecnologia para criar produtos de rocha com alto valor agregado foi abordada por Pedro Amaral (IST-Lisboa/Frontwave), ao apresentar um produto inovador, leve e de alta performance, que tem em sua composição rocha ornamental e cortiça.

TECNOLOGIA │As discussões do segundo dia trouxeram à tona opiniões contraditórias acerca da aplicação do modelo de Indústria 4.0 ao setor de rochas ornamentais. Segundo Agostinho da Silva (CEI - Potugal), a não adesão da indústria de rochas ornamentais a este modelo pode vir a representar a sua derrocada frente à indústria de rochas artificiais e materiais cerâmicos. Cid Chiodi Filho (ABIROCHAS), por sua vez, acredita que, em virtude das características próprias da indústria de rochas ornamentais e dos materiais trabalhados, há dificuldades para esta indústria aderir ao modelo 4.0, sendo necessário buscar novas alternativas para se manter no mercado, diante da tendência crescente de produção e comercialização internacional de rochas artificiais e produtos cerâmicos em detrimento das rochas naturais. No workshop matinal, foram apresentadas tecnologias de aproveitamento de estéreis de pedreiras, a indústria 4.0 aplicada à produção de rochas ornamentais, o programa brasileiro Indústria 4.0 da ABDI e a ZPE de Ilhéus. Nas sessões técnicas foram apresentadas, ainda, tecnologias de automação da produção, tecnologias de processos, softwares de bancos de dados, uso de robôs, além de reflexões sobre a força de trabalho no setor de rochas ornamentais, entre outros assuntos.

SUSTENTABILIDADE │Reflexões sobre sustentabilidade tiveram espaço no último dia do congresso. Um workshop sobre a exclusividade no mundo das rochas ornamentais abriu os trabalhos, com a apresentação de das novas tecnologias e soluções para o aproveitamento de resíduos de rochas ornamentais, o projeto sustentável para pequenos produtores na Patagonia, destacando-se a apresentação de representantes da empresa brasileira de extração e beneficiamento de rochas, a Pettrus Mineração, que expuseram o modus operandi de responsabilidade social corporativa da empresa visando à sustentabilidade, incluindo o uso de energia renovável, a produção controlada para o máximo aproveitamento dos maciços, dada a exclusividade dos materiais exóticos extraídos das suas minas, os estudos para aproveitamento de resíduos e ações de educação ambiental. A apresentação destacou a importância do profissional de geologia no conhecimento dos materiais extraídos, para o planejamento de lavra e seu melhor beneficiamento e utilização.

Ao longo das apresentações, foram demonstradas soluções sustentáveis a serem aplicadas no processamento das rochas, como, por exemplo, sistemas de tratamento de águas residuais do processo e alternativas para reaproveitamento dos resíduos gerados, tais como novos produtos que utilizam em sua composição resíduos de rochas, assim como novas aplicações para este resíduo na construção civil e na agricultura, nesta última podendo ser utilizados como fertilizante, entre outros. A questão da economia circular na indústria de rochas ornamentais foi outro tema amplamente abordado em diversas apresentações, assim como a aplicação das ferramentas de Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) e Modelagem de Informações de Construção (BIM – Building Information Modelling).

SESSÃO PÔSTERES │Ao longo dos três dias de congresso foram expostos pôsteres que tratavam dos três principais temas abordados no evento: Arquitetura, Tecnologia e Sustentabilidade. As sessões permitiram uma maior interação e troca de informações entre os participantes.

VISITA TÉCNICA │Ao término do congresso, os participantes realizaram visita técnica a duas pedreiras de extração de dois tipos de rocha ornamental no Estado da Bahia: o Granito Azul (sodalita) da empresa Somibrás, em Potiraguá, e o pegmatito da empresa Ouro Campo, em Macarani. A visita permitiu aos participantes, além de acompanhar o processo de extração, compreender um pouco do contexto geológico que levou à formação das rochas na região. Outras empresas disponibilizaram suas pedreiras para visitação, mas por motivos logísticos e de tempo, não foi possível. Foram estas: Marmífera (granito Azul Bahia), MAG-BAN & EXIDO (mármore), SUS’s & PRS Mineração (sienito marrom) e Ouro Campo (quartzito branco e azul).

HOMENAGEM A NURIA CASTRO│ A ABIROCHAS, na ocasião representada por Roberta Britto, agradeceu à tecnologista Nuria Castro pelo empenho e determinação na organização desta sexta edição do GSC. Como reconhecimento a ABIROCHAS irá financiar uma viagem a uma das Feiras Internacionais das quais a ABIROCHAS participa, de livre escolha pela homenageada, com as despesas pagas pela associação.

PARTICIPAÇÃO DE ESTUDANTES IFES. A ABIROCHAS subsidiou a participação de estudantes no evento e, graças a articulação entre o CETEM e o IFES, dos Campus de Cachoeiro de Itapemirim, Nova Venécia e Barra de São Francisco que disponibilizou um ônibus para o translado, 40 estudantes e professores puderam aproveitar a ocasião para aprofundar conhecimentos.

 

Redação: Thatyana Freitas

Colaboração: Abiliane Andrade Pazeto, Marília Lopes de Souza e Nuria Castro

 

 

 

SOBRE O GSC 2018

O Global Stone Congress está se consolidando como o principal evento técnico-científico mundial do setor de rochas ornamentais. Teve sua primeira edição em 2005, em Guarapari - ES, quando ainda era designado International Congress on Dimension Stones (ICDS). Na ocasião, o evento resultou de uma parceria entre o Centro de Tecnologia Mineral (CETEM), instituição de pesquisa integrante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC ), e o Centro Tecnológico do Mármore e Granito (CETEMAG), com apoio da Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (ABIROCHAS), e de outras instituições filiadas à Rede Brasileira de Tecnologia e Qualidade em Rochas Ornamentais (RETEQ-ROCHAS). Outras edições do evento foram subsequentemente realizadas na Itália (2008), Espanha (2010), Portugal (2012) e Turquia (2014), adotando-se, a partir da Espanha, a designação formal Global Stone Congress.

 

Redação: Thatyana Freitas

Colaboração: Abiliane Andrade Pazeto, Marília Lopes de Souza e Nuria Castro

 

PARTICIPAÇÃO DO CETEM NO EVENTO

Além de ser o organizador do congresso juntamente com a ABIROCHAS, o CETEM teve 11 trabalhos apresentados no evento, nas sessões técnicas e de pôsteres. São eles:

Apresentações Orais

Application of castor oil polyurethane resin in the dimension stone block infusion reinforcement process

Leonardo Luiz Lyrio da Silveira (CETEM); Bruna dos Santos Cezar Ferreira (IFES); Phillipe Fernandes de Almeida (USP)

Life cycle inventory of brazilian natural stones

Monica Castoldi Borlini Gadioli, Nuria Fernández Castro, Carlos Eduardo Ribeiro Wandermurem (CETEM)

Ecological flickerts used in the polishing of dimension stones

Wana Favero Gaburo Dorigo (IFES); Leonardo Luiz Lyrio da Silveira (CETEM); Phillipe Fernandes de Almeida (USP)

The Padua Stone: from the corrals to the Olympic Boulevard

Carlos César Peiter (CETEM); Maria Marta de M. Gameiro (DRM-RJ)

 

Apresentações em Pôster

Biodeterioration of the lioz of the facade of the Real Gabinete Português de Leitura

Bárbara Santana Tasca (CETEM), Maria Inês Sarquis (FIOCRUZ), Roberto Carlos da Conceição Ribeiro (CETEM)

Characterization of the portuguese rocks of Copacabana broadwalk

Roberto Carlos da Conceição Ribeiro (CETEM); Rosana Coppedê Silva (Autônoma); Gabriela Lacerda, Daniel Silva Barbutti e Patrícia Marques Ferreira de Figueiredo (CETEM)

Studies related to the deteriorations in stones of Mestre Valentim’s Fountain

Roberto Carlos da Conceição Ribeiro, Patrícia Marques Ferreira de Figueiredo e Daniel Silva Barbutti (CETEM)

Investigation of structural consolidation of the Candelária Chrurch in Rio de Janeiro – Brazil

Roberto Carlos da Conceição Ribeiro, Patrícia Marques Ferreira de Figueiredo, Daniel Silva Barbutti (CETEM); Sonia Santos (Irmandade do Santíssimo Sacramento da Candelária)

Lithological and commercial diversity of the state of Spirito Santo

Hieres Vettorazzi da Silva, Nuria Fernández Ccastro (CETEM)

Insertion of silicon carbide as cutting element in ecological fickerts for dimension stone polishing

Phillipe Fernandes de Almeida (USP); Victor Moza Ponciano (IFES); Leonardo Luiz Lyrio da Silveira (CETEM); Eduvaldo Paulo Sichieri (USP)

Stone Waste as ecofiller for self compacting concrete

Nuria Fernández Castro, Leonardo Cattabriga Freire, Fabio Conrado de Queiróz (CETEM); Rubens Curti, Rubens Monge (ABCP); Paolo Marone (IS.IM)

 


Além disso, o Diretor e pesquisadores do CETEM participaram da seguinte forma:

  •  Fernando Antonio Freitas Lins foi presidente da mesa da palestra Stones and Architecture: infinite story through centuries
  • Leonardo Luiz Lyrio da Silveira coordenou a sessão técnica do dia 28.
  • Nuria Fernández Castro foi moderadora da mesa redonda Global Technology in the World of Stones
  • Francisco Wilson Hollanda Vidal coordenou a sessão técnica do dia 29.
  • Carlos César Peiter foi moderador da mesa-redonda Global Stones in the Circular Economy World

 

Participaram como ouvintes: Abiliane de Andrade Pazeto (bolsista PCI), Antonio Rodrigues de Campos (colaborador), Bruno Alves Carlete (bolsista de projeto), Gustavo Egramphonte (bolsista PIBITI), Jefferson Luiz Camargo (técnico), Jéssica Tavares de Lima (estagiária), Jodan Silva Volpasso (estagiário), Kayrone Marvila de Almeida (bolsista PIBIC), Marília Lopes de Souza (bolsista PCI), Mirela Ramos Maturana (estagiária empresa), Nádia Valeriano Almeida (bolsista PIBIC), Rodrigo Lopes Arcanjo (bolsista PIBITI), Silmara Faico Rocha (ex-bolsista PIBIC, vencedora do prêmio ABIROCHAS), Taynara Lobato Moreira (bolsista PIBIC), Thatyana Pimentel Rodrigo Freitas (Núcleo de Comunicação), Victor Moza Ponciano (bolsista PIBITI) e

 

Redação: Thatyana Freitas

Colaboração: Abiliane Andrade Pazeto, Marília Lopes de Souza e Nuria Castro

Fim do conteúdo da página